Larissa Tassi e Yumi Matsuzawa gravam juntas nova versão de Chikyuugi

Nova versão do tema de abertura da Saga de Hades d’Os Cavaleiros do Zodíaco ganhou versão mixando português e japonês!

As intérpretes oficiais do tema de Chikyuugi no Japão e no Brasil se uniram remotamente para gravar uma nova versão do primeiro tema de abertura da Saga de Hades d’Os Cavaleiros do Zodíaco.

Mixando as letras em português e japonês, Larissa Tassi e Yumi Matsuzawa regravaram Chikyuugi com um novo arranjo, realizado pela Banda Senpai Old School.

FICHA TÉCNICA


FonteCanal Larissa Tassi


SOBRE OS CAVALEIROS DO ZODÍACO

Criado pelo mangaká Masami Kurumada, Saint Seiya teve seu primeiro capítulo publicado nas páginas da revista semanal japonesa Shonen Jump em 1º de dezembro de 1985, encerrando com 110 capítulos e 28 volumes tankobon em 12 de dezembro de 1990.

O mangá conta a história do cavaleiro de bronze Seiya que, protegido pela constelação de Pégaso, tem a missão de proteger a deusa Atena ao lado de seus amigos Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda e Ikki de Fênix. No decorrer das sagas, os protagonistas enfrentam inimigos poderosos que vão desde os cavaleiros de ouro protegidos pelas doze constelações do zodíaco que deveriam ser seus aliados até os exércitos dos deuses Poseidon e Hades.

Vendo uma grande oportunidade, a Bandai, a Toei Animation e a TV Asahi adaptaram a obra para anime e conseguiram emplacar um dos maiores sucessos comerciais de todos os tempos no Japão, liderados pela venda de action-figures com armaduras de metal.

A já série já ganhou diversos spin-offs em light novel, mangá e anime por diversos autores, entre eles o Gigantomachia, Episódio G, The Lost Canvas, Ômega, Saintia Shô, Alma de Ouro e Next Dimension, esse último escrito e desenhado pelo próprio Masami Kurumada.

No ocidente, a série foi rebatizada para Os Cavaleiros do Zodíaco e estreou na Rede Manchete em 1º de dezembro de 1994, sendo considerado até hoje o maior fenômeno de anime de todos os tempos no Brasil, acumulando recordes de picos de audiência, quantidade de produtos licenciados e números de fãs.

Atualmente, o mangá clássico está sendo publicado em formato kanzenban, The Lost Canvas em formato tankobon especial e Saintia Shô em formato tankobon regular pela editoria JBC. O anime clássico foi relançado recentemente em DVD e Blu-ray pela Playarte e está disponível pela Netflix (que também exibe The Lost Canvas e o remake em CG) e Crunchyroll (que também exibe Alma de Ouro e Saintia Shô).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *